Guest post: Joanesburgo por quem morou na cidade

A Tati Barro, do Se Lança Blog, morou em Joanesburgo e escreveu um post bem legal apresentando a Cidade do Ouro. No seu texto, ela falou sobre as principais atrações de Jozi, a questão da segurança e os lugares ideais para se hospedar.

Até então, o blog só contava com minhas impressões sobre Joanesburgo. Conheci lugares como Maboneng, Braamfontein e Soweto, mas não ainda consegui explorar a cidade da forma que gostaria. Por isso, acho que o primeiro guest post da história do Bastante Sotaque é muito rico, um tremendo cartão de visitas de Joburg. Traz o ponto de vista de quem morou na cidade – e sente saudades.

Joburg por Tati Barro*

Joanesburgo é uma cidade especial, mas muitas vezes ignorada pelo turista. Eu morei 1 ano e meio em Jozi e estou sempre pensando em voltar, morro de saudades.

Vou fazer um pequeno apanhado do que tem pra fazer por lá. Pra quem não tem muito tempo na África do Sul, 1 ou 2 dias são suficientes pra conhecer.

Essas são as atividades e lugares que eu sempre levava minhas visitas:

Museu do Apartheid

Museu com fotos, vídeos e textos sobre a época do Apartheid. É um passeio super triste, mas necessário para quem quer entender um pouco sobre a África do Sul e os sul-africanos. Leve lenços, pois é tenso: se você não se comover ali, passe no hospital pra ver se o seu coração tá batendo.

“Se você não se comover ali, passe no hospital pra ver se o seu coração tá batendo.”

(Clique nas imagens para ampliá-las)

Sandton City & Mandela Square

Shopping super chique, mas com opções de supermercados dentro. Engraçado isso, tem loja de luxo e um dos supermercados mais populares, o Checkers.

O melhor shopping da cidade, além de ter uma praça aberta com vários restaurantes e uma estátua gigante do Mandela. Fique atento aos horários, pois fecha cedo.

Lion Park

Neste parque, você vai conhecer o Leão Branco Africano, não é comum nesta região, aqui é uma espécie de santuário. Os leões ficam em uma área cercada onde você passeia com seu próprio carro (quem não está de carro pode fazer o passeio no jeep do parque). Tem também uma área onde você pode fazer carinho nos filhotinhos e outra para alimentar a girafa.

Organic Market em Bryanston

Esse não é um ponto turístico, é uma atividade de local! Às quintas e sábado tem uma feira de comidinhas e artesanato em Bryanston. É bem pequena, mas legal pra tomar um café sábado de manhã antes de sair passeando.

Rooftop Market no Rosebank Mall

Esta feira é enorme, acontece aos domingos e fica no telhado do shopping Rosebank. Tem de tudo, mas principalmente artesanatos africanos. É o lugar ideal pra conseguir uma pechincha e levar lembrancinhas pra toda família.

Montecasino

Hotel, Casino e restaurantes dentro deste recinto que imita uma Vila Italiana. Bem bonita para passear. Gosto do restaurante indiano RAJ e do grego Mythos.

Jantar no Moyo do Melrose Arch

Todo mundo que me visitava tinha que ir jantar no Moyo. Este restaurante serve pratos africanos (de todo continente), é bem lindo e o pessoal super prestativo. Eles lavam suas mãos com uma jarra de água na mesa, pintam seu rosto se você quiser, além de ter música ao vivo nos fins de semana. Bem legal.

Soweto e Centro

E aí você me pergunta, mas e Soweto, a Casa do Mandela e o centro de Joanesburgo? Pessoalmente, não são meus pontos favoritos pra fazer turismo…

Soweto e a Casa do Mandela são importantes pontos históricos e culturais no País, sem dúvida. Se tiver bastante tempo, vá até lá conhecer, se não – o Museu do Apartheid vai ser bem informativo e interessante.

Eu acho o Centro de Joanesburgo tenso, todas as vezes que fui pra lá foi só pra passar de carro e ver mesmo. Nunca tive coragem de descer. Com exceção de Maboneng, que é um bairro revitalizado, onde tem uma feira de comida e artes bem legal – chama Market on Main. Dá pra ir visitar no domingo.

Violência

Existem bairros mais perigosos e outros menos perigosos. Em geral, os locais onde há turismo são tranquilos. Nós, brasileiros, (infelizmente) somos craques em conviver com violência. É como se você fosse na Praça da Sé ou Centro do Rio – não dá bobeira com suas coisas, não baixe a guarda, mas não precisa ter medo. Aliás, eu tenho mais medo de ir ao Centro de São Paulo do passear em Joanesburgo.

“Aliás, eu tenho mais medo de ir ao Centro de São Paulo do passear em Joanesburgo.”

Transporte

Sempre me perguntam do Gautrain – é SUPER seguro! Além de super prático e eficiente, pode usar sem medo. Usava sempre que chegava do aeroporto, estava sem carro no estacionamento e precisava ir pra casa.

Onde se hospedar em Joanesburgo

E falando em casa… Onde é melhor dormir em Joanesburgo?

Eu particularmente prefiro dormir nos subúrbios ao norte do centro. Eu morava em Sandton, acho o melhor bairro para se hospedar. Porém, é também o mais caro. Então, outras opções são os bairros ao redor, como Rivonia, Bryanston, Woodmead, Morningside, Rosebank. Randburg é um pouquinho mais afastado, mas continua sendo uma boa área residencial.

O ideal é ficar próximo à estação Sandton do Gautrain, assim você pode usar esse transporte do aeroporto até o bairro e na estação é seguro pegar um táxi até o hotel.

Espero ter ajudado a esclarecer algumas dúvidas. O mais importante é se lançar nesta cidade super legal para conhecer mais da África do Sul!

*Veja mais textos e dicas da Tati no Se Lança Blog.

O Se Lança também está no Facebook e no Instagram, e já lançou (rá!) um guia da África do Sul.

Quer mostrar o post pra alguém? Compartilhe!

Um comentário

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.