Guest post: Dicas e roteiro de Maputo, Moçambique

A nova colaboração da Tati Barro, do Se Lança Blog, traz dicas básicas de Maputo, a capital de Moçambique. O país, que faz fronteira com a África do Sul, é mais uma opção de destino para quem viaja por aquela parte do continente. De quebra, é um lugar cujo idioma oficial é o português.

O texto da Tati sobre Maputo traz o olhar de quem morou na capital moçambicana. Conheça opções de hospedagem e atividades, além de informações sobre a documentação necessária aos turistas. Espero que o post desperte em você a curiosidade de conhecer aquele pedaço da África, que também está na minha lista!

Um cartão de visitas de Maputo

por Tati Barro

Maputo é uma cidade bem viva e movimentada. A capital de Moçambique não costuma ser o destino favorito para passar férias, mas pra quem vai ao país curtir as praias, tem que conhecer essa cidade vibrante.

Pra nós brasileiros, tem uma grande sensação de estar em casa. Você sem dúvida vai notar quantas similaridades temos em comum com os moçambicanos, e muito provalvelmente concluirá que é da nossa herança portuguesa – pro bem ou pro mal, desde a simpatia ao “jeitinho”.

Conhecer Maputo e Moçambique é uma excelente experiência cultural!

O que saber antes de ir

Brasileiros precisam de visto de turismo. É preciso tirá-lo no Brasil através da Embaixada em Brasília. O processo todo custa por volta de 300 reais, e o visto simples permite uma entrada única de 30 dias.

Moçambique é também um país com risco de malária. Maputo tem baixo risco, mas em qualquer outra área do país é preciso redobrar os cuidados com repelente e usar roupas longas.

As coisas são bem caras em Maputo. Pois é… Não tem a mamata da África do Sul, tanto que quem mora lá e tem condições, cruza a fronteira para fazer compras na cidade de Nelspruit. Hospedagem e alimentação vão doer no bolso. Atualmente, o metical (moeda local) está bem desvalorizado, o que faz com que os preços sejam um pouco mais acessíveis, mas mesmo assim não é uma cidade barata.

O que fazer em Maputo

Vou deixar uma sugestão de passeio para 2 dias. É possível fazer só em 1 dia, mas pra que a pressa?! Abrace o ritmo africano…

DIA 1

Comece descobrindo a Cidade Baixa, você ficará supreso com a quantidade de prédios históricos. Passe na CFM – os Caminhos de Ferro de Moçambique. Essa linda estação de trem está sendo renovada e merece uma visita.  

Depois continue para a Praça da Independência, onde você verá a linda Catedral, o Conselho Municipal e a Casa de Ferro. Esta última é uma casa desenhada pelo Gustav Eiffel. Detalhe que ninguém aguenta ficar dentro de uma casa de ferro na África, quente pra chuchu, então tiveram que adicionar modernos aparelhos de ar condicionado.

(Clique nas imagens para ampliá-las)

Em seguida, vá ao Mercado Central. É um mercadão que vende frutas e verduras, além de outros cacarecos. Bem em frente ao mercado, está a Loja Elefante – você tem que comprar uma capulana, aquele tecido africano! É um bom presente pra levar como lembrança. Já foi presente de Natal pra todas as mulheres na minha família. 😉

Na baixa, você pode almoçar no Zambi ou no Sabor do Sempre. O primeiro é um restaurante de peixes em frente ao mar, é elegante e mais caro. Onde todo mundo faz business na cidade. O segundo é um buffet que você paga por pessoa. Na época que eu frequentava, custava 450 meticais por pessoa, o que não é barato. Este restaurante enche, pois é em frente aos maiores prédios de empresas na baixa. Todos os brazucas expatriados estarão almoçando ali.

Depois do almoço, siga para o bairro Triunfo para conhecer o Mercado do Peixe recém-inaugurado. Siga adiante e quase no fim do bairro tem um shopping. Beeeeem pequeno, não tem muita coisa, mas tem algo que eu amo, um mini supermecardo Woolies! Só pra matar a saudade da África do Sul. Na volta do bairro, você pode parar no Hotel Southern Sun para tomar um café ou drink.

DIA 2

No segundo dia, explore a parte alta da cidade.

Visite o Museu de História Nacional e o Hotel Cardoso que fica bem em frente. O hotel tem uma linda vista da cidade, e é uma opção para almoçar, mas não é das mais criativas digamos. Bem ao lado, está o Parque dos Profesores. Neste parque tem um café e uma “biblioteca”, uma casa onde os livros foram doados e todo mundo pode emprestar ou só sentar ali pra ler.

Seguindo com o dia, visite o Hotel Polana, o mais antigo da cidade e um dos poucos a ficar aberto durante os vários anos da Guerra Civil. Um amigo da família conta que ia ao hotel para tomar café e comer um doce, pois era um dos poucos locais que tinha açúcar. Próximo ao Hotel Polana está a Feira de Artesanatos, na esquina das ruas Armando Tivane e Av. Mao Tse Tung.

Outro parque para conhecer na cidade é o Parque dos Namorados. Ande um pouquinho por lá e termine seu dia no Dhow. O restaurante com a vista mais linda da cidade. Você tem que ir lá assistir o por do sol. A comida em si não é grandes coisas, tem sandubas e outras coisinhas – mas é um MUST DO, simplesmente lindo o local.

Onde dormir em Maputo

Durma onde você conseguir o melhor custo x benefício, hospedagem na cidade é cara. Alguns hotéis para procurar: Radisson Blu Maputo, Southern Sun, Hotel Tivoli, Hotel Cardoso, Hotel Polana, Indy Village e Hotel VIP.

No mais aproveite a cidade e o gostinho de África!

*Veja mais textos e dicas da Tati no Se Lança Blog.

O Se Lança também está no Facebook e no Instagram, e já lançou um guia da África do Sul.

Veja também:

A África do Sul para iniciantes: Dicas básicas de viagem

VÍDEO: Table de Bar, um bate-papo sobre a África do Sul

Guest post: Joanesburgo por quem morou na cidade

Custo de vida em Cape Town: veja os preços do Uber

Viajar sozinha para a África do Sul: a opinião das mulheres

Cape Town: Roteiro de 10 dias para trintões em idade ou espírito

Quer mostrar o post pra alguém? Compartilhe!

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.