It’s on! Começou o intercâmbio em Cape Town

Enquanto espero meus amigos sairem da aula da tarde, vou postar aqui do computador da escola mesmo. A partir de hoje, terei internet em casa. Ai vai ficar mais facil escrever e botar algumas fotos.
A viagem foi muito longa e cansativa, mas os detalhes ficam para um proximo post. Hoje quero falar do povo daqui, que se mostrou muito fan (foi mal, to sem acento) de brasileiros.
Alias, nao acredite nos dados do IBGE, que dizem que o Brasil tem cerca de 200 milhoes de habitantes. Acredito que pelo menos uns 199 milhoes estejam em Cape Town. E, caramba, como tem paulista aqui!
Por enquanto, somente em momentos como o almoco de agora (com uma francesa, dois suicos e uma alema), cai a ficha de que estou em outro pais. A cidade lembra muito algumas partes do Brasil, os carros sao praticamente os mesmos e, claro, tem a multidao de compatriotas.
Foi impagavel a cena de hoje no cafe da manha oferecido pela escola aos novos alunos. O grupo ocupou duas mesas grandes. Na do lado, Japao, Alemanha, Suica, Camaroes… Ja na minha:
– De onde voce eh?
– Brasil! E voce?
– Tambem!
E a mesa toda falava portugues. Os sete eram brasileiros.
Voltando aos sul-africanos: eles acham interessante a sonoridade dos nomes brasileiros. Eh ate comum as vendedoras ficarem repetindo meu nome quando pegam o cartao VTM.
Isso aconteceu pela primeira vez durante minha primeira compra, um chip de celular na lojinha da Vodacom no aeroporto de Johanesburgo. As duas vendedoras eram figuracas, extremamente simpaticas.
Quando falei que era do Brasil, uma delas comecou a falar nomes:
– Ze Carrrrlos, Roberto Carrrrlos, Carrrlos… Voces, brasileiros, tem todos nomes assim (com essa sonoridade).
Ja numa loja esportiva do mesmo aeroporto, rolou a primeira referencia ao futebol.
– Oh… PEDRRRRO… LEONARRRDO, disse a caixa.
– PEDRRRO.. LEONARRRRDO… RONALDO… RONALDINHO… ROMARIOOO, completou a vendedora.
E a caixa ainda mandou um “Bebeto”, o que me deixou surpreso, ja que o cara parou ha uns 34 anos.
O caso mais recente aconteceu na manha de hoje, durante um minitour oferecido aos alunos, para conhecerem os arredores da escola. Nesse jardim perto da Biblioteca Nacional, um trio de locais ficou perguntando de onde eramos.
Respondi que tinha gente de todo canto, e a maioria era de brasileiros. Ai, foi uma festa. A do meio levantou o casaco e mostrou uma camisa verde com a bandeira do Brasil.
– Voce nao quer trocar? Nos vamos pra la, voce fica aqui! – disse uma.
– Tira uma foto nossa! – pediu a outra.

COPA

Embora ainda nao tenha encontrado alguem viciado em futebol, a Copa de 2014 eh assunto recorrente. Ontem, falamos muito sobre o assunto apos o jantar. Enquanto a tonica dos comentarios dos estrangeiros (dois espanhois e dois alemaes) era “se o Brasil foi escolhido, eh porque tem capacidade”, eu e a Isa – a outra brasileira da casa – falamos sobre os problemas na organizacao do evento. Eh interessante como o pais-sede anda pessimista.
No proximo post, falarei desses primeiros dias, de como estou tocando a vida por aqui. Amigos e familia, fiquem tranquilos. Ta tudo sob controle!

PS: Esqueça o que falei sobre a ausência de malucos por futebol. Várias discussões inflamadas entre 2 amigos: um é Real Madrid e o outro, Barça. Sensacional!

Quer mostrar o post pra alguém? Compartilhe!

Um comentário

  1. que maneirooo leoo adorei o post vai ser mto legal ler aqiui todas as suas aventuras que nao devem ser poucas viu..ja coloquei no favoritos pra smpre acompanhar nao abandone isso aqui rsrs que bom q gostam de brasileiros…otimas amizades pra vc ai e td de bom..!

Deixar uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.