Intercâmbio em Cape Town: dicas básicas pra tiozões em idade ou espírito

Ok, novinhos(as) são maioria no intercâmbio em Cape Town. Entretanto, isso não quer dizer que estudar inglês fora do Brasil seja proibido para quem, digamos, é jovem há mais tempo. Se você – que nem eu – está perto de dobrar o Cabo da Boa Esperança, não desanime: é possível viver semanas agradáveis sem se sentir um peixe fora d’água gelada de Camps Bay.

Intercâmbio em Cape Town (ou qualquer lugar do mundo) é ideal para todas as idades

(Post atualizado em 16/1/2019)

Fiz meu intercâmbio em Cape Town em 2011, quando já tinha 27 anos. Na escola EC, eu era um dos mais velhos. A maioria dos alunos tinha entre 18 e 22. Ali, percebi que tinha virado um tiozão. Conheci muita gente legal, mas, às vezes, me sentia no elenco de “Malhação”. Ficava avulso no meio daquelas conversas sobre quem beijou quem na noite anterior. O porre que fulano tomara na balada. E todas as histórias que envolviam excesso de álcool e decisões ruins típicas da tenra idade.

Além disso, a viagem demorou a “engrenar”. Sem conhecer muito da Cidade do Cabo, acabava seguindo com o grupo lá da minha casa em todo lugar. As coisas só melhoraram quando encontrei amigos da mesma faixa etária ou com o mesmo perfil que o meu.

Como a maioria dos leitores e seguidores do Bastante Sotaque tem entre 25 e 34 anos, pensei em fazer um post com dicas de intercâmbio em Cape Town para quem deseja fugir do esquema “spring break”.

Vale a pena fazer intercâmbio em Cape Town?

Apesar das reações de espanto que isso possa provocar, é, sim, uma boa ideia. Um curso de inglês na Cidade do Cabo é um dos melhores investimentos que você pode fazer na vida.

Veja mais detalhes sobre a minha experiência nos guest posts que escrevi para o blog Se Lança (outra ótima fonte sobre a África do Sul):

Vale a pena estudar inglês na África do Sul?

Dicas práticas de intercâmbio na África do Sul

E para informações sobre documentação, vacina da febre amarela, voos etc, confira o post com as DICAS BÁSICAS SOBRE A ÁFRICA DO SUL.

Intercâmbio em Cape Town: escolhendo a escola

EC (onde estudei), LAL, International House (IH), Cape Studies, Good Hope, EF e Oxford aparecem entre as principais escolas de inglês da Cidade do Cabo.

Em qualquer uma delas, certamente você será um dos mais velhos da turma. Não há como fugir disso. E não importa o número de semanas de curso: com disciplina, assiduidade e dedicação, é certo que haverá uma evolução no seu inglês.

Quanto a custos e opções de voluntariado, é melhor entrar em contato com a escola ou sua agência de intercâmbio.

A seguir, confira informações sobre a localização das principais escolas de inglês em Cape Town:

EC Cape Town

Inaugurado há alguns anos, o novo prédio da EC Cape Town fica no Centro, próximo ao início da Bree St. Se você procurar por algo no Airbnb, um bom ponto de referência é a Thibault Square – que também tem uma estação do ônibus MyCiti.

Uma das opções mais em conta para almoçar por ali é o Food Lovers Market.

Endereço: 42 Hans Strijdom Avenue / Site

LAL e IH Cape Town

Ambas ficam em Sea Point, que defino como o bairro que tem tudo. São muito populares entre os brasileiros. Veja mais detalhes no post que fiz sobre moradia e hospedagem naquela área da cidade.

Endereços: LAL – 319 Main Rd / Site

IH: Esquina das ruas Church and Regent / Site

Cape Studies

Localizada no bairro de Green Point, um dos meus preferidos na cidade. A escola fica perto da rua principal, onde há pontos do ônibus MyCiti e muito comércio. O Cape Town Stadium, utilizado na Copa de 2010, também é próximo dali.

Endereço: 17 Varney’s Road / Site

Good Hope

Essa escola tem duas filiais na Cidade do Cabo – Centro e Newlands.
Endereços: 5 St. Georges Mall (Centro); 11 Mariendahl Ave (Newlands) / Site

EF

Essa não parece ser tão popular entre brasileiros. Gosto muito da sua localização, bem na região em que prefiro me hospedar em Cape Town. A Kloof St é uma continuação da boêmia Long St e fica quase nos pés da Table Mountain. Há vários pontos do ônibus MyCiti, além de supermercados e ótimos restaurantes.

Endereço: 89 Kloof Street / Site

Oxford

Essa escola fica no Centro de Cape Town, o que torna a sua localização e o acesso dois pontos fortes. Em relação aos bairros para se morar, Bo-Kaap, Tamboerskloof e Gardens são boas opções.

Endereço: 56 Shortmarket St / Site

Residência estudantil ou host-family?

Geralmente, são oferecidas duas opções de acomodação: residência estudantil (algumas são dentro da escola) e casa de família.

Em 2011, fiquei numa casa da EC no bairro de Bo-Kaap e amei a experiência. Não sei se me sentiria tão à vontade morando com uma host family.

Eu ficava em um quarto individual na residência estudantil chamada de Mountain View. Que casa espetacular! Ela ficava lá no alto, mas dava pra chegar ao antigo prédio da escola em 3 ou 4 minutos. É meio distante da atual sede, mas dá pra ir a pé.

Por que curti: privacidade; não dar satisfação a ninguém sobre onde vou e que horas volto; convívio com pessoas de vários países, uma incrível troca de cultura e experiências.

A LAL é uma das que oferecem uma acomodação integrada à escola. Por sua vez, uma das opções de residência da Good Hope é a YMCA (sim, igual à música). Conheci o lugar, que parece um condomínio fechado. Ele me pareceu bem legal e seguro. Fica no bairro de Observatory, próximo à estação de trem.

Água

O volume de chuvas em 2018 e a economia feita pela população proporcionaram uma melhora significativa na situação da água – embora a imprensa brasileira não tenha destacado as recentes notícias positivas.

Desde outubro do ano passado, a Prefeitura vem relaxando as retrições de consumo. Já na minha viagem de novembro a Cape Town, não passei perrengue. Percebi que a cidade reagiu ao problema e se adaptou: o consumo inteligente continuou e este deve ser o novo normal.

Veja mais detalhes no post sobre a situação da água em Cape Town

Custo de vida em Cape Town

Acho que calculando uns 10 mil rand por mês dá pra fazer uma viagem legal. O melhor link do mundo sobre esse assunto é o da planilha de custos da Mama Africa English.

Que moeda levar

O dólar sempre compensa. No entanto, não acho que seja problema levar real, mais forte que o rand sul-africano. Nossa moeda é aceita em algumas casas de câmbio como a do banco Bidvest.

Kit básico

Para ter mais autonomia na hora de explorar a cidade e fazer as coisas do dia a dia, recomendo comprar um chip de operadora local (principal motivo: chamar Uber) e adquirir um cartão do ônibus MyCiti.

Transporte

Combine Uber e MyCiti. Quanto aos táxis, utilize apenas o de empresas, aqueles que você pode chamar por telefone. Nunca pegue os que ficam parados em pontos. Chame por telefone ou pelos aplicativos próprios de companhias como Unicab, Intercab (tel: 021 44 777 99) e Excite.

Já o trem pode ser uma boa para visitar as praias de False Bay, como Muizenberg, Kalk Bay e Simon’s Town. Compre a passagem da categoria de vagões Metroplus – a menos caidinha – e evite andar nele após o pôr do sol.

As vans (minibus taxis) são bem populares. Porém, não as utilizei mais após a implantação do MyCiti.

Quanto ao aluguel de carros, nunca tive problemas com a CNH brasileira. Mesmo caso do Diogo Caldeira, media relations manager do Turismo Oficial da África do Sul, que falou sobre a aceitação do documento no vídeo abaixo:

E para quem pretende alugar um carro na África do Sul (ou em qualquer lugar do Brasil e do mundo), uma opção é fazer a reserva com a RentCars, empresa parceira deste site. A compra feita através do banner abaixo gera uma comissão para o Bastante Sotaque, e você não paga nenhum valor a mais por isso – de quebra, ainda ajuda a manter o blog.

Posts relacionados:

De carro: o que visitar em Cape Town e arredores

Explorando Cape Town sem carro

MyCiti, o BRT de Cape Town

Custo de vida em Cape Town: veja alguns preços do Uber

Principais pontos turísticos

No meu intercâmbio, eu estudava pela manhã e curtia a cidade à tarde (e sempre fazia o homework!). Durante a semana, optava por atividades em locais mais próximos, deixando os tours mais longos para sábados e domingos.

Algumas sugestões de atrações que cabem nos dias úteis: Table Mountain, Lion’s Head, Signal Hill, Bloubergstrand, Two Oceans Aquarium (especialmente quando chove) e o Jardim Botânico de Kirstenbosch.

Passeios que podem ser feitos no fim de semana: Cabo da Boa Esperança, Boulders Beach (praia dos pinguins), Robben Island, ônibus vermelho do City Sightseeing.

Praias

A dobradinha Camps Bay e Clifton é sucesso entre os brasileiros. Para dar uma variada, sugiro conhecer Bloubergstrand e Big Bay, do outro lado da baía. É dali que se tem minha vista preferida da Table Mountain.

Por sua vez, Oudekraal e Llandudno não costumam figurar no roteiro dos turistas e estudantes do Brasil. Para chegar até elas sem carro, é só pegar um ônibus MyCiti até a Victoria Road, estrada que liga Camps Bay a Hout Bay. Depois, é só caminhar ladeira abaixo até a areia.

Waterfront

Vizinho do Cape Town Stadium, o lugar é um grande complexo gastronômico, comercial, turístico e cultural. Há museus, shoppings e diversos restaurantes. Além disso, muitas atividades podem ser feitas ou reservadas por ali.

Se não tiver ideia de onde comer, o Waterfront sempre terá uma opção para você. Destaco o Food Market e o Willoughby & Co.

Veja o post sobre o Waterfront de Cape Town

Onde comer em Cape Town

Recomendo esquecer qualquer dieta quando estiver na África do Sul. Come-se muito bem por lá. Clique aqui para conferir todos os posts do blog sobre a gastronomia capetoniana.

Meu restaurante preferido é o Willoughby & Co, localizado no Waterfront, enquanto meu coração também tem um espaço bem amplo reservado para o Neighbourgoods Market. Aliás, as feiras e mercados gastronômicos são uma boa pedida para você que ainda não é craque no inglês e tende a se enrolar com os cardápios.

Comprando lembranças na Cidade do Cabo

Localizada no Centro, a Greenmarket Square é o lugar mais famoso para a compra de artesanato e lembranças em geral na cidade. É preciso negociar: não é desfeita, faz parte da coreografia.

Entretanto, a opção preferida dos turistas e intercambistas brasileiros é a loja do moçambicano Martins, no African Craft Wholesale Market.

Lugares não tão famosos

Entre as atrações que não ganham tanto destaque nos guias, minha principal dica é o Neighbourgoods Market. A feira gastronômica acontece todos os sábados de manhã no Old Biscuit Mill, no bairro de Woodstock.

Veja outras experiências “esquecidas” que podem tornar seu intercâmbio em Cape Town inesquecível

Garden Route

O roteiro da road trip mais famosa da África do Sul é composto, em sua maior parte, por cidades do litoral das províncias de Western Cape e Eastern Cape. Entre suas principais atrações, estão o bungee jump da Bloukrans Bridge e o Tsitsikamma National Park.

Como o ideal é fazê-la em, no mínimo, 3 ou 4 dias, talvez seja preciso faltar a uma ou duas aulas durante seu intercâmbio em Cape Town.

Veja o guia da Garden Route

Safári

Não existe safári em Cape Town. É preciso pegar algumas horas de estrada para chegar às reservas mais próximas. Uma boa fonte de informação é o post do blog Viagens e Vivências sobre a Sanbona Wildlife Reserve.

O famoso Kruger National Park fica do outro lado do país. Apesar de ser um pouco mais caro, é o que mais curti.

Noite

Minha fase de baladas já passou. Tenho preferido pubs em que posso beber uma cervejinha e ouvir uma banda ao vivo tocando músicas do meu tempo. Por isso, gosto tanto do Dubliner, na Long Street. Meu dia preferido é a sexta, que é quando o mito Riaan se apresenta.

Se o jazz é mais a sua pegada, você pode curtir The Crypt, na Wale St.

Outra opção é o HQ, também na região central de Cape Town. Quando fui lá, um crooner tipo Michael Bublé se apresentou durante o jantar, caminhando entre as mesas. Apesar do jeitão de lugar chique, há promoções em alguns dias da semana. Na terça, por exemplo, eles fazem o Date Night, no qual a refeição completa para duas pessoas sai por menos de 70 reais.

Vinhos

Há mais de 300 vinícolas na região que abrange Cape Town e seus arredores. Na própria cidade do Cabo, algumas boas opções são a Groot Constantia e Cape Point Vineyards.

Já nas Winelands, os destaques são as cidades de Stellenbosch, Franschhoek e Paarl. Uma forma de se conhecer a região é através do day tour do ônibus vermelho do City Sightseeing.

No caso de Franschhoek, há ainda a opção do Wine Tram, um serviço hop-on hop-off que passa pelas vinícolas da cidade. Se você estiver em Cape Town, pode aproveitar a integração feita com o “red bus”, que parte do Waterfront três vezes por semana.

Para mais detalhes, confira o post sobre degustações de vinho em Cape Town e arredores.

Arte

Como o nome deixa claro, as First Thursdays acontecem em toda primeira quinta-feira do mês. O evento se define como uma “experiência cultural livre na qual galerias de arte e outras atrações ficam abertas até tarde no Centro da cidade”. Confira o post sobre essa iniciativa.

Já o Museu de Arte Contemporânea Zeitz tem inauguração prevista para setembro de 2017. O local é a cereja no bolo do Silo District, mais novo setor construído no complexo do Waterfront.

Esporte

Se você curte praticar esportes, há alguns lugares bons para realizar sua caminhada, corrida ou pedalada durante o intercâmbio em Cape Town. Um dos mais famosos é o calçadão de Sea Point. Por sua vez, o Waterfront tem trajetos de 3 km e 5 km. Pelo Centro, um dos locais mais agradáveis e arborizados é o Company’s Garden.

Para quem deseja alugar uma bicicleta, recomendo a empresa UpCycles, que tem quiosques espalhados pela área central da cidade.

Ufa!

É impossível reunir em um único post tudo que se pode fazer durante um intercâmbio em Cape Town. Esta publicação tem o objetivo de dar um norte a quem pretende explorar a Mother City com um pouco mais de autonomia, sem precisar seguir pessoas com gostos e perfis diferentes.

Veja os posts do blog, os vídeos do YouTube, as dicas no Instagram. Deixe o roteiro em aberto, seja flexível e evite planos engessados. Se não der pra conhecer tudo, não surte. Aquele país é assim mesmo. É a tática deles para nos fazer voltar sempre.

Já se você procura por um guia da África do Sul – algo raro nas livrarias brasileiras -, recomendo o produzido pelo Se Lança Blog, minha referência de conteúdo em português sobre aquele destino.

Seguro viagem

Leitores do Bastante Sotaque têm desconto de 5% ao adquirir este serviço com a nossa parceira Seguros Promo. Basta usar o cupom bastantesotaque5 na compra do seguro viagem.

As parcerias ajudam a manter o blog, cobrindo os gastos com hospedagem do site, domínio e ferramentas de monitoramento. As vendas garantem uma comissão ao blogueiro, enquanto os seguidores não precisam pagar nada a mais pelo serviço.


Seguros Promo

Passagens

Você pode comparar preços de passagens para a África do Sul ou qualquer lugar do Brasil e do mundo, além de fazer sua compra através do Passagens Promo, que mantém uma parceria com o Bastante Sotaque. O blog ganha uma comissão – que ajuda nas despesas com hospedagem, monitoramento e domínio – e você não paga nada a mais por isso.

[ppromo_passagens origin=”GRU” destination=”CPT” limit=”6″ header_text=”Passagens para Cape Town/Cidade do Cabo” tags=”tiozoes” month=”07″ show_logo=”false” /]

Veja também

Table Mountain: Visitando o ícone de Cape Town

Voando para a África do Sul com a SAA

Viajar sozinha para a África do Sul: a opinião das mulheres

A África do Sul para iniciantes: dicas básicas de viagem

Quer mostrar o post pra alguém? Compartilhe!

7 comentários

  1. Muito obrigada por esse artigo, Pedro! Também vou para Cape Town mais “velhinha” (26 anos, rs), li várias coisas dizendo que esse é um destino que atrai muitos xovens e comecei a pensar “meu deus, vou será que não vou encontrar ninguém na mesma vibe que eu?! será que vou ter que dar roles sozinha?!?!”. Você está me dando uma esperança! Acho que não vou me arrepender da escolha dessa cidade.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.